A tal da ruivisse…

Padrão

Desde sempre uma parte de mim tem vontade de largar o loiro e partir pro ruivo. Já passei por mechas ruivas, pontas ruivas, “luzes” ruivas… Mas nunca tenho coragem de tingir o cabelo todo e acabo sempre ficando no loirinho mesmo. Mas eis que me aparece esse vídeo aqui enquanto eu pesquisava sobre o cabelo lindo da Julia-Maravilhosa-Petit, que fez voltar a minha vontade na hora que bati o olho nesse mar ruivo no programa dela do GNT, o Base Aliada. Pra quê, minha gente? Agora tô aqui, me remoendo de dúvidas se encaro o ruivo laranjinha, bem natural, daqueles de tirar o fôlego. Pra piorar, ainda me aparecem essas belezuras, coisas de encher os olhos e que ficam de inspiração pra quem tiver essa vontade (é só clicar que as imagens ficam maiores):

Ai dúvida cruel!

* A maioria das fotos foi tirada daqui ó.

Anúncios

Barbie Colecionável: eu querooooo!

Padrão

Eu fui uma daquelas meninas que só parou de brincar de boneca porque cresceu mesmo, mas sempre achei (só eu tô achando elas estranhas agora, com um cabeção?) as Barbies lindas, tive até uma que passou mais ou menos um ano dentro da caixa e só saiu porque minha irmã mais nova ficava importunando, pedindo para brincar com ela. E eis que, passeando pelo site da Lia (exatamente neste post aqui!) me deparo com essas bonecas lindas, com inspiração em obras de arte, que me fizeram suspirar e correr atrás de comprá-las. Infelizmente, o site da Ri Happy acabou (por enquanto!) com as minhas esperanças, mas fez valer a visita me mostrando outros modelos das bonecas. (Dá um clique na imagem que ela fica maior)

Mas se alguém quiser me dar de presente, Natal já está chegando, heheheh.

O que um pouco de papelão não faz pela sua parede.

Padrão

Depois que conheci o blog Casa de Colorir, da Thalita, comecei a olhar tudo de um jeito diferente. Ela me conquistou com o texto fácil e com as ideias simples, que usam coisas que geralmente a gente manda pro lixo. E tamanha foi a minha surpresa quando apareceu um post lá (esse aqui ó!) com o molde de bandeja pros leitores de um daqueles animais empalhados de papelão. Eu já tinha desistido de ter o meu, porque não tinha ideia de como faria uma coisa daquelas sair de um monte de papelão! Bom, aí já sabe né, a pessoa aqui se animou, tratou de arranjar uma caixa de papelão e ir na gráfica imprimir os moldes! E eis aqui o resultado:

Não vou mentir pra ninguém: papelão é uma coisa terrível de se cortar! Fiquei com os dedos super doloridos. Mas valeu a pena no fim das contas :) Ah, você deve estar se perguntando o por que dessa plaquinha. Bom, como foi ruim de cortar (acho que também é culpa da minha tesoura que não é das melhores), o acabamento não ficou tão bom. Fora isso, o papel de presente acabou no meio do caminho, algumas partes amassaram na hora de encaixar… Mas a plaquinha também é pra lembrar que nem tudo é perfeito. E agora eu tenho uma parede mais feliz e um lembrete pra vida, hahhaha. E aí, quem mais se arrisca no bixinho de papelão?